O Que Sobrou – Fresno

Publicado: outubro 14, 2008 em Fresno, Nacional

Quem dera eu pudesse navegar
No mar, ao vento
Quem dera eu pudesse congelar
E parar no tempo

Quando seu coração tinha lugar para nós dois
Não quero nem lembrar do que aconteceu depois
Depois que eu deixei de ser o que você queria
Não pude imaginar que isso aconteceria

Não vou nunca mais poder ser teu
Eu não sou ninguém sem ter você ao lado meu
Se me pergunto quem eu sou
Sou o que sobrou de quem um dia te amou

Quem dera eu pudesse rebobinar
O filme da vida
Quem dera eu pudesse encontrar
Teus olhos, saída

Lembro que teu corpo era uma extensão do meu
Lembro que havia amor atrás dos olhos teus
Quando eu cantava serenatas com rosas na mão
O tempo em que eu não sabia o que era solidão

Não vou nunca mais poder ser teu
Eu não sou ninguém sem ter você ao lado meu
Se me pergunto quem eu sou
Sou o que sobrou de quem um dia te amou

Não vou nunca mais poder ser teu
Eu não sou ninguém sem ter você ao lado meu
Se me pergunto quem eu sou
Sou o que sobrou de quem um dia te amou

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s