Cada Poça Dessa Rua Tem Um Pouco De Minhas Lágrimas – Fresno

Publicado: outubro 10, 2008 em Fresno, Nacional

Você vai dizer
Eu não fiz por mal, eu não quis te magoar

E eu vou dizer
Que seria ideal fugir, te abandonar
Pra sempre, pra sempre

Começa a chover
(começa a chover)
E a lágrima vai se misturar com a água que cai do céu
E ao anoitecer
(e ao anoitecer)
Em vão eu tento encontrar o que de mim você levou
Pra sempre, pra sempre

Perdoa por eu não poder te perdoar!
Dói muito mais em mim não ter a quem amar
Ecoa em mim o silêncio dessa solidão
Pudera eu viver sem coração…
Viver sem você
(você, você)
Sem você
(sem você)
Viver sem você

Em cada poça dessa rua você vai me ver
Em cada gota dessa chuva você vai sentir minhas lágrimas
Minhas lágrimas…
E a cada dia da sua vida você vai chorar lágrimas sofridas que não vão somar um décimo do que eu sofri…
O quanto eu sofri
O quanto eu sofri

Eu pude ver o sol desaparecer do seu rosto, dos seus olhos, da sua vida.
Eu pude ver o sol desaparecer do seu rosto, dos seus olhos, da sua vida.
Eu pude ver o sol desaparecer do seu rosto, dos seus olhos, da sua vida.
Eu pude ver o sol desaparecer do seu rosto, dos seus olhos, da sua vida.

Desaparecer
(desaparecer)
Desaparecer
(desaparecer)
Desaparecer…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s